VOLTAR  

A ivermectina é uma droga sem grandes efeitos colaterais e há 6 ações descritas da droga: é antiparasitária, antibacteriana, antiviral, antineoplásica, anti-inflamatória e moduladora da imunidade. Todos esses efeitos numa só droga e com mínimas reações colaterais. Tem apenas 8% de metabolização hepática (não é hepatotóxica), não é excretada pelo rim por ser uma molécula muito grande (menos de 2%), não causa lesão cardíaca, nem em qualquer outro órgão importante Pode ser utilizada em grande quantidade de pacientes, em distribuição massiva e  sem preocupação de causar danos. Ela atua como antiviral inibindo as glicoproteínas dos espetinhos que ficam ao redor do vírus SAR-COV2, fundamental para que ele se acople ao receptor da enzima conversora da angiotensina 2,  permitindo que entre na célula, onde se replicará, produzirá muitas proteínas extremamente  tóxicas para nossa imunidade e daí sairá para infectar outras células.    Para que o vírus entre no núcleo, local da sua replicação ,é necessário que ele seja transportado até lá pelas importinas alfa e  beta.

Este ano a ciência avançou muito no conhecimento do mecanismo de ação dessa droga como antiviral e descobriu:

  • a ivermectina em primeiro lugar impede a ligação do vírus com o receptor da enzima conversora da angiotensina 2, bloqueando sua entrada na célula e impedindo que o vírus produza a hipotensão, saída de líquido dos vasos, estimule a produção de ácido hialurônico (formará hidrogel no pulmão e asfixiará o paciente) e aumente a produção da bradicinina inflamatória: tudo isso em consequência da ligação do vírus com esse receptor, que é bloqueado pela ação da ivermectina impedindo o desenrolar dos acontecimentos descritos;
  • depois a ivermectina impede que o vírus atinja o núcleo celular e se replique ao bloquear as importinas Alpha e beta, responsáveis pelo transporte do vírus até o núcleo;
  • caso o vírus já tenha se replicado, a ivermectina também é capaz de neutralizar 55 das proteínas virais tóxicas, sendo 3 delas as mais importantes porque atingem profundamente a imunidade do paciente: a protease 3CLpro viral inativa 1ª linha defesa células hospedeiras, o interferon, começando  a degradar sistema imunitário do hospedeiro; a protease viral PLpro  viral  garante a maturação do vírus e impede que seja eliminado e a proteína SUD combate resposta imune da célula hospedeira e degrada tanto a  imunidade do paciente que o vírus consegue replicar-se em leucócitos, a célula branca do sangue que deveria estar destruindo o vírus. Acredita-se que o vírus, ao atuar contra o sistema imunitário do indivíduo, desencadeie uma doença autoimune, principal responsável pela síndrome pós-covid, quando a doença não está mais ativa, mas deixou seu rastro no organismo e a recuperação não é total.

A ivermectina atua em todas as fases do COVID-19

A ivermectina é a droga que conseguiu demonstrar-se atuar em todas as fases do COVID-19:

  1. como preventiva impede que 93% dos pacientes adquiriram a doença,  quando medicados profilaticamente com a medicação e os 7% restantes, caso tenham adquiram a doença, o farão de uma forma muito branda;
  2. também atua no tratamento precoce,na fase de intensa replicação viral, bloqueando todas as  fases da infecção celular  e da produção das proteínas virais tóxicas, facilitando a rápida recuperação do paciente;
  3. também atua na fase inflamatória, quando não existe mais a replicação viral, mas existe muitos fragmentos das proteínas tóxicas no organismo,  que desencadeiam a crise inflamatória prejudicial e os fenômenos de tromboembolismo;
  4. finalmente consegue fazer a modulação da imunidade após o paciente estar curado da fase infecciosa, impedindo que ele desenvolva a síndrome pós-covid. Merece por tudo isso o título pelo qual já é conhecida na ciência – de DROGA MARAVILHOSA

Não poderíamos pedir mais de uma droga, ela é simplesmente perfeita para o COVID-19. Se temos uma desgraça que assolou a humanidade em 2020, que é o  vírus do  COVID-19,  temos também uma graça que é a ivermectina, que está possibilitando  a rápida recuperação dos pacientes, eliminado a fatalidade e permitindo que recuperemos a nossa vida normal e a convivência com nossos entes queridos.

COM A IVERMECTINA PODEMOS GARANTIR  FELIZ NATAL A TODOS!

Referências:

Heidary, F., Gharebaghi, R. Ivermectina: uma revisão sistemática dos efeitos antivirais para o regime complementar COVID-19. J Antibiot 73, 593–602 (2020). https://doi.org/10.1038/s41429-020-0336-z

Veja também a terceira pergunta deste artigo, clique aqui

× Como posso te ajudar?

Deseja se cadastrar em nosso mailing?